Portal do Governo do Estado de São Paulo

/Prevcom na midia

Rentabilidade da carteira de investimentos da previdência complementar de SP supera o CDI

22/11/2018 04:15

SEGS

A carteira de investimentos dos planos de previdência complementar dos servidores paulistas rendeu 9,6% no período de janeiro a outubro, resultado que supera os 8,12% da meta de IPCA mais 5%. De acordo com o balanço fechado pela Fundação de Previdência Complementar do Estado de São Paulo (SP-PREVCOM), responsável pela gestão do capital investido pelos participantes, o desempenho obtido corresponde a 168,47% do CDI que registrou ganho de 5,38% nos dez meses do ano.

Em outubro foram agregados à carteira de investimentos da instituição mais R$ 26,6 milhões em rendimentos, contribuições dos participantes e contrapartidas do governo estadual, que realiza aportes regulares de até 7,5% do valor do salário que ultrapassar o teto do INSS fixado em R$ 5.645,80. Com este acréscimo, o patrimônio acumulado da entidade atingiu R$ 1,03 bilhão.

A Fundação, que detém 25,3 mil funcionários inscritos, pagou no mês passado R$ 455 mil em aposentadorias. Com esta transferência, a instituição soma R$ 8,8 milhões em valores depositados aos inscritos nos planos de benefícios.

Estados e Municípios

A SP-PREVCOM expandiu sua área de competência e será a gestora de planos de previdência complementar de vários estados e municípios. A negociação mais recente foi iniciada com a prefeitura de Lins, cidade da região centro-oeste, que assinou em 5 de novembro protocolo de intenção para aderir ao PREVCOM MULTI, plano multipatrocinado que reúne diversos entes federativos em uma mesma estrutura, a custos reduzidos.

Estão em andamento também estudos para implantação de planos para Maceió (AL), Itapecerica da Serra, Jales, Ribeirão Preto, Rubinéia, Santos, Sertãozinho e São João da Boa Vista. Os estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul firmaram o documento e devem adotar a previdência complementar.

Os processos avançaram em relação ao estado de Rondônia e aos municípios de Birigui e Santa Fé do Sul que tiveram seus convênios de adesão aprovados pela Superintendência Nacional de Previdência Complementar (Previc) e estão autorizados a iniciar suas operações.

;